Novo clipe “Sono tão Profundo” da Eletroacordes é provocativo e desperta sensações psicodélicas



Despontou na web em abril o lançamento do clipe da Eletroacordes, intitulado “Sono Tão Profundo”,  que é faixa-título do terceiro EP da banda, de dezembro de 2019. Com duração de 3’26”, o vídeo tem ousadia, sensualidade, plasticidade e claro, embalado pela canção psicodélica com direito à trilha incidental. A produção é da NPPAC, com direção de Lucas Noronha e participação especial da modelo Monique David

Confira no Canal da Eletroacordes no YouTube em: https://bit.ly/2UOvqNo

Além da presença do power trio nas cenas, a produção buscou trazer pelas imagens, o encanto de um cenário vibrante, mas de vanguarda, amparado pelo recurso de luzes e filtros ou então, por externas em meio a natureza. Tudo seguindo um roteiro um tanto psicodélico, mas sem experimentalismos. No ponto exato, sem devaneios.

A semi-nudez da modelo Monique também é um momento delicado de beleza para sensualizar alguns takes da gravação, sem apelo erótico, apenas com cenas de bom gosto. Tanto que, em uma postagem nas Redes Sociais em março de um teaser de 30 segundos do clipe na internet já provocou alvoroço entre os fãs da banda, que aguardavam a produção audiovisual da composição ainda nos tempos do lançamento do EP.

O clipe, produzido em 3 meses, foi rodado em quatro locações, desde o Estúdio Brothers, no Agridoce Café, além das externas no Parque Gabriel Knijnik, em Porto Alegre e também em Gramado. A sintonia da produção com a banda agilizou a concepção de “Sono Tão Profundo”, diferente do clipe anterior que esbarrou em inúmeros percalços, mas que porém, ganhou um mini-doc por conta da trajetória um tanto ímpar.

Para o diretor do clipe, Lucas Noronha, a produção pela NPPAC exigiu versatilidade criativa diante dos temas abordados na canção e dos ambientes propostos no projeto. “A produção foi desafiadora, por abordar diferentes conceitos estéticos, de modo a criar um diálogo entre os ambientes filmados”, analisa.

Este é o sexto clipe roteirizado da banda, o segundo registro de um mesmo EP – o outro single foi “Aquele Beijo” –, ambos produzidos pela NPPAC com produção de áudio da Casa Sonora. O roteiro, assistência e adaptação é do sociólogo Marcelo Noronha.  Já a arte e figurino ficou por conta da designer Clau Sieber. Para conhecer mais o som da Eletroacordes, acessehttps://www.soundcloud.com/eletroacordes ou em outras dez plataformas, entre as quais Spotify, Deezer ou Google Play.
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.