Tormenta - “Batismo da Dor” (Ribeirão Preto/SP) (Álbum) (Nacional - 2019) (Independente)


Se tem uma coisa que me chama atenção de imediato é o fato de a banda disseminar suas ideias na língua pátria, seja lá qual for sua nacionalidade, e ultimamente tem surgido cada vez mais projetos nessa linha e se desapegando da língua inglesa. Não, não tenho nada contra quem opta pelo inglês, afinal todos os meus ídolos cantam nesse idioma. Pois bem, assim que vi que o Tormenta (formada em 1998, mas que só havia lançado um ep em 2006) vocifera suas letras em português a alegria foi grande e quando coloquei “Batismo da Dor” pra rolar conseguindo entender as letras de todas as músicas, aí já me conquistou.

O disco foi lançado no corrente ano, traz 10 faixas de um thrash metal poderoso, envolto de todos os ingredientes que o gênero oferece e com letras que abordam temas sociais e reflexivas, o que torna o disco ainda mais completo. Faixas como “Batismo da Dor”, “Escravo da Ilusão”, “Em Nome de Deus” e “Dono da Verdade”, são canções potentes e com mensagens fortes e diretas que aliados a riffs rápidos e bases bem montadas, merecem toda a atenção. E vale ressalva também a versão muito bem feita da canção “Mal Necessário” de Ney Matogrosso. Quando eu digo que a mensagem é mais importante que a sonoridade propriamente dita é disso que estou falando.

Sem sombra de dúvida o quarteto de Ribeirão Preto/SP foi uma das grandes surpresas do ano (até agora) e certeza será o tormento dos vizinhos por várias semanas. Impossível não se ater a sonoridade produzida por esses malucos que conseguiram transformar “Batismo da Dor” em um dos lançamentos do ano. Podem “printar” o que estou dizendo!


Músicas:
1. Cumulonimbus
2. Batismo da Dor
3. Escravo da Ilusão
4. Reféns do Medo
5. Em Nome de Deus
6. Dono da Verdade
7. Antaŭŝtorm’
8. A Noite Espessa
9. Perseverança
10. Mal Necessário (cover)

Formação:
Rogener Pavinski (vocal/guitarra)
Flávio Santana (guitarra)
Fernando "Muttley" (baixo)
Luis Fregonesi (bateria)

Acompanhe a Tormenta através das redes:
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.