Soulfly - “Ritual” (Phoenix/AZ - EUA) (Álbum) (Nacional - 2018) (Nuclear Blast/Shinigami Records)


O Soulfly já tá na ativa a mais de 20 anos e confesso que lá no início dos anos 2000, quando conheci a banda, não foi um som que digeri, achava aquela pegada nu metal chatinha demais, já que nunca fui fã do estilo. Depois de todos esses anos enfim fui sacar um álbum inteiro da banda e pasmem.... Curti essa porra (heheheh), a banda já não explicita mais aquela pegada nu metal (o qual eu continuo não gostando) e agora traz algo mais a lá thrash e até mesmo death metal, lógico que com muito groove. To aqui falando do mais recente álbum, o “Ritual” que acaba de ser lançado e tá sendo distribuído no Brasil pela Shinigami Records e Nuclear Blast.

Uma das coisas que mais me encantaram foram os elementos tribais, algo presente nas influências do Max Cavalera e que vem desde o Sepultura, e aqui depois de tantos anos ele ainda faz questão de explicitá-las. “Ritual” abre o disco justamente com sons de um ritual e de cara me lembrou a música “Ratamahatta” do velho Sepa, mas quero deixar claro que essas impressões não duraram muito tempo, por que o que vem depois é uma avalanche de peso e brutalidade aliados a veia groove que é característica na banda; O álbum traz várias participações e entre elas nos vocais, como na faixa “Dead Behind the Eyes” que traz Randy Blythe (Lamb of God) dividindo o posto com Max, a faixa também é agressividade pura e intercala entre partes rápidas e cadenciadas; “The Summoning” quando começa é death metal puro, mostra toda a agilidade do baterista Zyon Cavalera(para quem não sabe é filho do Max Cavalera), ao decorrer a música traz uns riffs característicos do metal da morte, mas o que impera mesmo é o groove metal; Um som bem técnico é “Evil Empowered”, são ótimos arranjos e uma pegada feita pra banguear; “Under Rapture” traz outra participação no vocal, dessa vez é nada mais nada menos que Ross Dolan do Immolation, no geral a canção traz melodias brutais e ótimas frases, além do vocal inconfundível de Ross; “Demonized” traz influências thrash, death e HC e o resultado foi bastante agradável; “Blood on the Streets” é uma das mais agressivas do disco, também flerta com os estilos citados acima e se mostra forte e com ótimos arranjos; “Bite the Bullet” traz Max com vocais raivosos e bastante influências tribais no instrumental; “Feedback!” é bem direta e com uma paradinha bem característica do vocalista; o play encerra com “Soufly XI”que traz uma calmaria tremenda... Trata-se de um instrumental atmosférico foda onde o som romântico do sax e os belos dedilhados roubam a cena, ou seja, uma bela surpresa.

Esse álbum me fez querer conhecer mais os trabalhos do Soulfly e farei isso em ordem decrescente. Tive mais uma prova de que as aparências enganam e aqui puder perceber que quando se trata do sobrenome “Cavalera” vale apena conferir, por que indiscutivelmente o metal extremo corre nas veias dessa família.


Músicas:
1. Ritual
2. Dead Behind the Eyes
3. The Summoning
4. Evil Empowered
5. Under Rapture
6. Demonized
7. Blood on the Street
8. Bite the Bullet
9. Feedback!
10. Soulfly XI


Integrantes:
Max Cavalera (Vocal/guitarra base)
Marc Rizzo (Guitarra solo/guitarra flamenca)
Mike Leon (Baixo)
Zyon Cavalera (Bateria/percussão)

Acompanhe o Soulfly através das redes:
www.soulfly.com/
www.facebook.com/SoulflyOfficial
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.