Brutal Morticínio - “An Indigenous War Black Metal Front” (Novo Hamburgo/RS) (EP) (Nacional - 2018) (Independente)


Escrever sobre o Brutal Morticínio é sempre uma honra, quero escrever todos os anos, por que isso quer dizer que a banda está produzindo e essa horda nunca decepciona, são 13 anos de batalhas e o que é melhor, sempre se mantendo fieis a sonoridade e temática ao qual se propuseram a fazer. Finalzinho de 2018 os caras soltam o mais novo lançamento, trata-se do ep “An Indigenous War Black Metal Front” contendo 03 faixas, sendo uma intro, onde a banda se mostra afiada e com a mesma energia negra de sempre: black metal sujo, cru, blasfemo e entoando os antigos ritos de guerra, bradando ódio contra o estúpido e podre homem branco cristão. “Gélidas Lápides de Desolação” se apresenta como um sucessor a tudo que a banda já fez, como tem que ser, riffs simples e emanando atmosfera sombria, os vocais de Tormento como sempre escarrados e com uma dicção clara se fazendo possível entender toda a letra (ambas em português); “An Indigenous War Black Metal Front” que apesar do título também é vociferada na língua pátria, começa cadenciada e logo se torna rápida, com riffs que cortam a carne de tão afiados e ótimas variações na bateria. A arte de capa funciona como uma prévia do que está adiante e faz uma ligação da sonoridade com letras.

Eis que os portões do inferno sul-americano mais uma vez se abrem para vomitar mais uma obra maldita, e creio que esse seja apenas um aperitivo do que ainda está por vir, e a julgar por esse ep, teremos mais um grande álbum do metal negro em breve. Hail!


Músicas:
1. Intro
2. Gélidas Lápides de Desolação
3. An Indigenous War Black Metal Front

Integrantes:
Tormento ( Vocal)
Chris Podreira (Guitarra/Baixo/Teclado)
C. Humberati (Guitarra)
A. Rodrigues (Bateria)

Acompanhe o Brutal Morticínio através das redes:
0 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.